Buscar
  • Veronica Trevizoli

Partículas Cósmicas


Foto: youtube

Ola pessoal!!


Faz tempo que não escrevo para vocês, mas o Universo está nos dando a oportunidade de estarmos mais próximos, mesmo em tempo de isolamento social.


Sabemos que o Big Bang é a teoria da criação do Universo mais aceita pelos cientistas e físicos do mundo inteiro. E eles acreditam também que toda matéria existente no Universo foi criada durante esse período há mais de 14 bilhões de anos.


A matéria é constituída por partículas elementares que são as menores partículas existentes e são indivisíveis. E as forças que interagem com essas partículas são as forças fundamentais fortes, fracas, eletromagnéticas e gravitacionais. Sabemos que os átomos são formados por prótons, elétrons e nêutrons, mas somente os elétrons são elementares.


São 12 as partículas elementares e são divididas em dois grupos:

· Quarks (up, down, charm, strange, top e bottom).

· Léptons (elétron (e-), múon (μ-), tau (τ-) e seus neutrinos).


Quark é a única das partículas que interage através de todas as quatro forças fundamentais.


Os quarks possuem duas propriedades que são muito importantes, o sabor e a cor. Cor e sabor são apenas analogias com os alimentos. Os quarks podem ter seis sabores (tipos), são eles: Up, Down, Charm, Strange, Top e Bottom. Apenas os dois primeiros estão presentes na composição dos prótons e dos nêutrons. Quanto as cores, podem ser: red, green e blue. Essa propriedade (cor) não é estática, pois os quarks interagem entre si e mudam de cor através dos glúons. E é essa interação que faz com que os quarks permaneçam juntos, por isso que o nome da partícula intermediadora se chama glúon, que vem da palavra glue, que é cola em inglês.


A palavra “léptons” vem do grego “leve”, participam somente das interações eletromagnéticas e fracas e podem viajar por conta própria. São formados por partículas de alta energia que chegam à Terra à velocidade muito próxima à da luz e colidem com as moléculas de nitrogênio e oxigênio da atmosfera terrestre, resultando em trilhões de novas partículas, esses são os chamados chuveiros cósmicos. Um aspecto interessante sobre os léptons é que eles podem decair e transmutar-se em outros léptons. O muon e o tau são instáveis, e este último se desintegra espontaneamente em partículas não elementar.


Os neutrinos do elétron são os mais presentes no nosso cotidiano, pois são emitidos pelo Sol e atravessam a atmosfera. Nosso corpo é bombardeado por mais de 600 trilhões de neutrinos de elétron por segundo, por isso são conhecidos como “partículas-fantasma”.


Para estudar essas partículas, cientistas, astrônomos e físicos precisam detectar e analisar os ínfimos projéteis que chegam ao solo.


Esse será o nosso desafio...e te desafiamos a participar desse momento científico. E ai, preparado para mais uma aventura cinetífica?

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo